sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Capítulo 138

No caminho de volta pra casa foi em absoluto silencio. Zac não lhe dirigiu a palavra nenhuma vez, e parecia que não estava nem um pouco afim de falar com ela enquanto estivesse dirigindo, ele parecia estar irado. Lily engoliu o seco quando ele estacionou o carro na garagem de casa.

Zac- Me espera no quarto. – ele disse destravando a porta do carro para que ela saísse. Era a primeira vez que ele falava depois que saíram do consultório.

Ela saiu do carro e entrou dentro de casa com a expressão chorosa. Zac ficou observando-a enquanto negava com a cabeça, aturdido... Merda!

Zac- Droga! – bateu no volante com força. – Isso zac... – apoiou a cabeça no banco enquanto fechava os olhos com força, tinha vontade de matar Lily! – Isso que você ganha por ser tão coração mole, olha ai... – deu um risinho irônico. – Perdeu o amor da sua vida e os seus filhos por causa dessa mentirosa... – ele respirou fundo e contou até dez pausadamente. – Receba otario. – saiu do carro.

Passou pela sala de estar da luxuosa casa e subiu as escadas, entrou no quarto e viu Lily choramingando.

Ela escutou o barulho da porta e secou as lagrimas.

Lily- Coelhinho, eu posso explicar... – disse com os olhos vermelhos. – Eu só fiz isso por que te amo, eu não queria te perder, não queria que você me trocasse por outra...

Zac- O que você pretendia mentindo pra mim Lily? – cruzou os braços. – Achou que eu nunca iria desconfiar?

Lily- Não é isso... – ela sussurrou. – Eu não fiz por maldade. – olhando as mãos. – Eu fiz por amor... Eu tenho os ovários policísticos, eu não posso engravidar tão fácil, eu fiquei com medo e... – suspirou perdendo a fala. – Eu fiz por amor... – repetiu sem saber o que dizer.

Zac- Por amor? – ele ironizou. – Você fodeu com a minha vida! – berrou. – Me fez perder a mulher que eu amo, brincou com os meus sentimentos, você sabe que ser pai sempre foi meu ponto fraco! E por que nunca me disse desses seus ovários policísticos?

Lily- Tinha medo de querer se separar de mim... – desabafou. – Mas apesar disso nós podemos ter um bebê! – levantou apressada, indo até ele. – Podemos fazer uma inseminação artificial, eu posso fazer um tratamento amor. – o abraçou.

Zac- Eu não quero fazer nada, eu não quero ter filho com uma mentirosa como você! – ele se soltou. – E quer saber? Hoje mesmo eu vou embora, não quero viver no mesmo teto que você.

Lily- Não zac! – ela arregalou os olhos, desesperada. – Se me abandonar eu juro pra você que eu me mato! – voltando a chorar. – Eu me mato e deixarei uma carta escrita, dizendo que a culpa é toda sua, eu não estou brincando! – ameaçou ao vê-lo entrar no closet. – zac você está ouvindo o que eu estou falando? – observando ele pegar as roupas.

Zac- Sabe o que me admira Lily? – ele disse com um sorrisinho falso. – A sua cara de pau– riu com gosto. – Como pode você inventar que a criança chutava? Querer ir a Nova York comprar um enxoval caríssimo, planejando chá de bebê com suas amigas, sendo que você mesma sabia que não existia filho nenhum... Você é doente ou o que hein? – pôs a ponta do dedo na têmpora enquanto jogava as roupas da cama. – Você me enganou direitinho. – fechou os olhos negando com a cabeça... Precisava relaxar para que não cometesse um crime e deixasse sua vida mais fodida do que já estava. Apesar de se sentir aliviado por não ter mais nada que o prendesse a Lily, ele se sentia um verdadeiro otario, como pode acreditar tão cegamente em uma pessoa louca daquelas? Mas por outro lado como ele podia desconfiar que uma criatura que não sabia contar nem até noventa pudesse armar uma coisa tão baixa e infantil como forjar uma gravidez...? Tinha certeza absoluta que Lily não estava nessa sozinha, ela não teria capacidade mental pra inventar algo assim sem a ajuda de alguém.

Zac- Quem ajudou você nisso? – ele perguntou abrindo os olhos.

Lily- O que? – ela o olhou com os olhos molhados. – Do que está falando?

Zac- Não se faça de idiota... Fala logo, quem estava ajudando você com toda essa mentira? – ele perguntou e em seguida fechou os olhos, claro... – Minha mãe não é? – disse com certeza absoluta ao lembrar que quem viajaria com Lily era Stella. – Não é possível. – negou com a cabeça.

Lily- Eu inventei tudo... Ela não tem nada a ver, só estava me ajudando por quer lhe ver feliz...

Zac- Me ver feliz? – ele teve que rir. – Era só o que faltava... Sabia que eu estou com mais raiva de mim do que de vocês? Meu, como eu pude ser tão otario? Não dá pra acreditar... – pegando sua mala. – Tudo era um plano brilhante da minha mãe com minha adorada esposa... Iriam para Nova York, e lá você daria um jeito de perder o bebê, e como eu estaria longe não poderia acompanhar os acompanhamentos médicos que você teria e as duas ligariam apenas para me dar a triste noticia... Babaquisse! – bufou.

Lily- EU FIZ ISSO POR AMOR! – ela berrou.

Zac- AMOR O CRARALHO! – ele disse no mesmo tom. – Você destruiu o sentimento de amizade que eu sentia por você, por que nunca foi segredo pra ninguém que eu tinha um carinho imenso por ti, desde sempre... A única coisa que eu sinto por você agora é pena... Você me decepcionou...

Lily- E você? – ela disse o encarando com frieza. – Acha que é um santinho não é? Esqueceu quem foi o maldito traidor da nossa relação? Foi você! – apontou. – VOCÊ DESTRUIU NOSSO CASAMENTO E A MINHA VIDA! – berrou. – ME TRAIU COM AQUELA VAGABUNDINHA FAVELADA...

Zac- CALA A BOCA! – ele gritou, vermelho. – NÃO FALA DA DULCE! PELO MENOS A VANESSA NUNCA MENTIU PRA MIM!

Lily- E você acredita mesmo que é pai desses dois bastardos? – disse com vontade de rir. – É claro que ela está mentindo, você não é o pai e nem nunca foi! Ela está é te fazendo de otario pra ganhar um bom dinheiro todo mês as suas custas.

Zac- Acha que todo mundo é como você Lily? – indagou jogando todas as suas roupas dentro da mala. – Está muito enganada, eu não vou nem discutir esse assunto com você.

Lily- Eu não vou deixar você ir atrás dela! – disse tirando as roupas dele de dentro da mala.

Zac- Vai ficar com essa de jogar as minhas roupas no chão? – disse juntando-as outra vez. – Você é tão infantil Luly, eu não sei onde está a mulher com quem eu casei, você era estranha, mas agora a sua loucura já está em um nível doentio. Nem eu te reconheço mais... – negou com a cabeça fechando a mala.

Lily- VOCÊ ME DEIXOU ASSIM, QUANDO ME DESRESPEITOU! – gritou. – VOCÊ ACABOU COM A MINHA VIDA ZAC! – observando ele pegar a mala e sair corredor afora. – VOCÊ DESTRUIU O NOSSO CASAMENTO, EU QUERO VER SE VOCÊ VAI ARRUMAR UMA MULHER FINA E FIEL COMO EU! – disse enquanto descia as escadas atrás dele. Os empregados olhavam toda a confusão com perplexidade. – ESSA PUTA VAI VIVER TE BOTANDO CHIFRES E É ISSO QUE VOCÊ MERECE! – aos prantos. – CHIFRES, VAI SER UM COELHO CHIFRUDO!

Zac- Você pode ficar com a casa, o seu carro e os seus cartões... Tá vendo como eu não sou tão malvado? – ignorando tudo o que ela disse. – Nos próximos dias, meu advogado virá com os papeis do divorcio.

Lily- E QUEM DISSE QUE EU VOU ASSINAR? NUNCA!

Zac- Se não quiser assinar azar é seu, hoje em dia não precisa mais ter as duas assinaturas pra se declarar divorciado, uma só já é o suficiente.

Lily- EU VOU ME MATAR HOJE MESMO! – disse aos berros. – EU VOU TE ASSOMBRAR TODA A NOITE, VOCÊ VAI VER SÓ!

Zac- Você já me assombra, não só a noite, mas de dia também! – saiu, batendo a porta.

Lily- AAAAA! – disse caindo no chão, aos berros. – Meu coelhinho...

Zac chegou ao seu flat e pôs sua mala no chão, pegou seu celular e ligou para chris, que atendeu no segundo toque.

Chris- Quem tá me enchendo o saco a essa hora da manhã? – disse com voz sonolenta, parecia que tinha acabado de acordar.

Zac- Sou eu, zac... – disse sentando no sofá e tirando os sapatos. – Te acordei?

Chris - Porra, só podia ser... – bufou. – Claro que acordou, sabe que aos sábados eu durmo até uma hora. – indagou bocejando. – Tirando que ontem fiquei bebendo até umas horas... E você acordou de ressaca?

Zac- Não, até que não... – riu.

Chris - E por que está acordado as... – chris olhou no relógio digital. – Onze da manhã?

Zac - Não te disse que iria levar a Lily ao obstetra? – coçou a nuca.

Chris- Vixe, é mesmo... – chris sentou, começando a se interessar. – E ai, está tudo beleza?

Zac- Que nada, era mentira dela mesmo. – ele suspirou. – Não tinha nenhum bebê.

Chris- PORRA! – começou a rir, e zac rolou os olhos. – Eu disse pra você, vacilão!

Zac- Pois é porra... – ele bufou. – Eu jamais imaginaria que Lily fosse capaz de inventar uma mentira assim, justo ela, que não sabe inventar coisa nenhuma, pra mim a mente dela era inocente... O que eu nem sequer imaginava era que minha mãe também estava por trás disso.

Chris- Eita, dona stella? – passou a mão na nuca. – É tenso hein parceiro? Mas e ai? O que aconteceu depois?

Zac- Sai de casa. – ele respirou fundo. – Estou aqui no meu flat.

Chris- Aleluia! – chrid comemorou. – Se livrou daquele estorvo, vou te contar, mulherzinha chata do caralho...

Zac - Pois é... – zac sorriu. – Próxima semana eu vou assinar os papeis do divorcio e serei um passarinho livre pra voar. – assoviou.

Chris- Pagando pra ver... – gargalhou.

Zac- Mas vem cá chris... – ele trocou o telefone de orelha. – E a vanessa, como ficou ontem? Ela ainda passou muito mal depois que saiu da empresa?

Chris- Não, até que ela estava melhor. – ele disse. – Mas ela ficou muito nervosa cara, se eu você não deixaria mais ela e a Lily no mesmo ambiente... Pode fazer mal pros bebês, sei lá a vanessa fica nervosa muito fácil.

Zac- Você tem razão, mas agora eu creio que seja difícil de ela ficar no mesmo ambiente que a Lily... De qualquer forma eu vou cuidar pra que não se repita, não quero arriscar os meus bebês com isso, eles são tudo de mais importante que eu tenho. – suspirou.

Chris- Olha, agora ele é um papai dedicado... – disse com voz de bebê e zac  riu. – O que acha de uma pelada? – chris perguntou.

Zac- Ótima ideia? Eu tou precisando realmente me divertir depois da péssima manhã que eu tive... Que horas?

Chris- Daqui a mais ou menos duas horas, vou ligar para o pessoal.

Zac- Beleza, tou lá em duas horas. – se despediu de Chris  e desligou.

Jogou o celular no sofá e entrou no banheiro, precisava de um banho... Entrou na ducha e ficou pensando em tudo, Lily mentiu pra ele e graças a isso estava longe de vanessa e seus filhos que estavam pra nascer...

Não sabia explicar a raiva que estava sentindo de Lily! Agora estava sozinho e vanessa não iria nem ligar se ele estava solteiro ou deixava de estar, ela não iria querer voltar com ele tão cedo e ele estava bem consciente disso. E infelizmente ele merecia aquilo, merecia ser desprezado, merecia levar patadas, ele era um otario e fim de papo. Mas apesar de tudo ele não desistiria dela, a amava e ela era a mulher de sua vida, iria lutar por ela com todas as suas forças. Saiu do banho e trocou de roupa, vestiu seu uniforme de futebol, que ele usava para bater uma bola com seus amigos e foi até a sala secando os cabelos. Viu que seu celular estava tocando, rolou os olhos ao ver que era sua mãe e já tinha sete chamadas. Atendeu desanimado.

Zac- Alô. – esfregando a cabeça com a toalha.

Stella- ZAC , VOCÊ PODE ME DIZER QUE MERDA FOI ESSA QUE VOCÊ FEZ COM SUA ESPOSA? – a mulher gritava, zac fechou os olhos e afastou o telefone.

Zac- O que eu fiz? – ele disse andando de um lado para outro. – Eu me SEPAREI dela... Entendeu mãe? Me S-E-P-A-R-E-I! – soletrou. – Entendeu?

Stella- VOCÊ BEBEU?

Zac- Um pouco, ontem a noite... Mas me diz mãe... Você realmente teria coragem de enganar seu próprio filho de uma maneira baixa e infantil como essa?

Stella- Lily e eu fizemos isso para o seu bem zac! – a mulher disse pacientemente, olhando a nora que estava deitada em seu colo, chorosa. – Só você não vê que você e ela nasceram para ficar juntos, vocês são lindos juntos, não estrague o seu casamento por uma besteira dessas... Um filho vocês podem ter a qualquer momento.

Zac- Acha mesmo que o filho é o problema? – ele riu. – Mamãe, o filho é o de menos, eu estou falando da atitude! Vocês duas mentiram pra mim e isso eu não aceito, não adianta a Lily chorar, nem pedir pra você ficar me telefonando, por que o nosso casamento acabou, e ela já está consciente disso.

Stella- Você está completamente desorientado meu filho... – stella alegou. – Me diga onde você está que a mamãe vai ai lhe dar um gadernal...

Zac- Está dizendo que eu estou louco? – ele disse perplexo.

Stella- Sim, isso está muito claro...

Zac- Olha mãe, eu não estou com cabeça nem paciência pra discutir com você... Por isso eu vou desligar antes que eu fale algo que me arrependa depois... Adeus. – desligou.

Stella- zac?! – Alexandra berrou. – zac, fale com sua mãe! – olhou para o telefone. - Droga!

Lily- Ai stella ele vai ficar com ela... – Lily voltou a chorar fazendo stella rolar os olhos.

Stella- Não, ele não vai ficar com ela querida... – disse a mulher pacientemente.

Lily- Como assim? – parou de chorar, olhando stella com esperança. – O que você vai fazer stella?

Stella- Vou fazer uma visita a essa menina. – disse pensativa.

Lily- É sério? – Lily arregalou os olhos.

Stella - Sim... – sorriu para a nora. – Vou pegar o endereço dela na empresa, e vou ter uma conversa com essa cobrinha.

Lily- Ai stella! – Lily bateu palminhas. – Eu posso ir com você? Diz que sim, diz que sim! – toda alegre.

Stella - É claro que sim querida.

Lily- Então vamos agora mesmo! – disse se levantando, mal via a hora de ver o barraco imundo onde aquela pirralha morava.

Stella-  Que agora o que... – rolou os olhos fazendo ela se sentar outra vez. – Temos que esperar até segunda pra poder pegar o endereço dela na empresa.

Lily- Ah é mesmo... – suspirou tristemente.

Stella- Passa rapidinho... – Stella  piscou. – O que acha de ligarmos para Rosana pra fazer umas comprinhas e esquecer um pouquinho esse assunto?

Lily- Não... Eu não estou com animo. – tristonha. – Só consigo pensar no meu coelho.

Stella- Bom, chegou uma nova coleção de sapatos que você precisa ver... – stella assoviou.

Lily- Tá bom eu vou! – levantou rapidamente. – Mas que fique claro que eu não estou nenhum pouco a fim de sair... – arrastando stella.

Stella- Sei... – negou com a cabeça, deixando-se ser arrastada.

Mas tarde...

Vanessa estava com Ashley na pracinha, estavam conversando com Geraldão, uma machona que “adorava” a morena.

- Serio ruivinha, se você quiser eu assumo seus moleques... – disse a machona, piscando. – Ninguém vai nem desconfiar que não são meus...

Ash- Não, claro que não... – Ashley  disse entredentes e Vanessa gargalhou.

Bvan- Sério, não precisa mesmo se incomodar Geraldão, você como amiga, já está bom demais. – disse rindo.

- Que é isso gatinha... Amiga não, amigo! – corrigiu. – Eu sou muito mais macho que o pai dos seus moleques, pode ter certeza.

Van- Ah, será mesmo? – deu um sorrisinho amarelo.

- Bom, se você aceitar sair comigo, a gente pode confirmar. – disse sedutora.

Ash- Puts... – Ashley disse baixinho.

Van- Olha eu agradeço, de verdade, mas não estou a fim... – engoliu o seco. – Digamos assim, de me envolver com uma pessoa agora. Entende?

- Não... – disse coçando o queixo. – Mas se você está me dando um fora... – ergueu as mãos.

Van- Não é um fora amigo! – enfatizou o “amigo”. – É que, eu gosto é de homem... – disse com tristeza.

- Está dizendo que eu não sou homem? – disse invocada.

Van- Não digo que você não é homem... – ela indagou. – Só digo que eu gosto de homem que tenha uma rola... De preferencia bem grossa.

-mas eu tenho uma grossa pow... Comprei de trinta e nove e noventa no sex shop. – piscou e vanessa e Ashley se entreolharam com vontade de rir.

Van- Que bom não é? – ela sorriu. – Mas não é esse tipo de******que eu gosto, eu gosto de******de verdade, que pulsa, sabe? – mordeu o lábio.

Geraldão fez um bico.

- Ah você é tão lindinha... – ela lamentou e vanessa deu um risinho, agradecida.

Em seguida parou de sorrir ao ver um carro que ela conhecia muito bem parando ali na calçada... Mas como ele descobriu que ela estava na praça?

Zac estacionou o carro e desceu, não fora difícil encontra-la, ao chegar na casa dela, Monique o recebeu e disse que ela estava na pracinha em frente ao açougue, juntamente com Ashley. E lá estava ele.

Zac- Olá. – ele disse se aproximando deles.

Ash- Oi... – apenas ashley respondeu falsamente. – O que faz aqui, querido zac?

Zac- Vim conversar com a vanessa... – se virou para a morena. – Posso falar com você?

Vanessa o encarou com superioridade, o que aquele louco estava fazendo ali em pleno sábado a tarde? Estava com um uniforme de futebol e um pouco suado, parece que estava jogando bola, ela suspirou tentando olhar para outro lugar. Não estava nenhum pouco afim de falar com ele depois de tudo o que aconteceu no dia anterior.


Prontinhos!!!! Comentem MUITO!!!!!!!!!!!!!!!!!

3 comentários:

  1. Menina posta mais hoje pelo amor de deus

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhhhh aleluia aleluia aleluia, já não aguentava mais o zac fazendo papel de trouxa, mas tomara que a vane o aceite de volta logooo!!
    Bjss, posta maisss

    ResponderExcluir
  3. Ai vou morrer a cada capítulo
    Vc tem que postar mais hj amr
    pleasee

    ResponderExcluir